O que esperar do Mercado 4.0 no setor imobiliário?

Profissionais precisam se adaptar e dar voz aos clientes

O termo é relativamente novo. Surgiu em 2017 no Centro de Transformação de Negócios Digitais (DBT Center) e está relacionado principalmente à tecnologia, mas abrange também uma comunicação mais facilitada com as pessoas.

Quando o profissional que vivenciou a transição do Mercado 1.0 para o Mercado 4.0 diz que passou por uma revolução ele não está exagerando. O mundo vem mudando rapidamente e o trabalho, obrigatoriamente, teve de se reinventar para sobreviver ao novo momento, que foi completamente afetado pela tecnologia e requer mão de obra capaz de incorporar diversas habilidades e de atuar em ambientes complexos. Em outras palavras, a inteligência humana vai ter que trabalhar, cada vez mais, em parceria com a artificial, onde uma vai complementar a outra.

Como a tecnologia está em tudo, não seria diferente com o mercado imobiliário. A inovação neste setor faz toda a diferença, por isso é cada vez mais comum vermos sites estruturados com ferramentas, como “tour virtual”, “imagens e vídeos 360º”, “corretor online” e um melhor posicionamento nas redes sociais.

Não há volta. Empresas e corretores de imóveis que não se atualizarem, automaticamente, ficarão para trás. 

Quem defende esta mudança é o CEO da Imobi, Fabio Barros dos Reis Siqueira, que há cerca de dois anos criou um aplicativo revolucionário no mercado imobiliário. Junto com os sócios Nepson Nep Ribeiro (COO) e Wagner Peinado (CMO) eles desenvolveram o Imobi Places, que conecta numa única plataforma o cliente que busca o imóvel, o corretor, a imobiliária e o proprietário do imóvel.

Fabio Barros explica que o termo “indústria ou mercado 4.0” abrange qualquer tipo de negócio e trouxe a revolução nos processos de execução e entrega de serviços e produtos. “O mercado Imobiliário 4.0 faz parte dessa mudança que tem como foco principal, gerar experiência de valor para o cliente. A ideia é otimizar a experiência das pessoas, onde o profissional corretor de imóveis, por exemplo, deve ter total conhecimento do seu produto, passando confiança ao consumidor”.

Fabio Barros

O mercado 4.0 não se trata em substituir o atendimento humano pelo digital, pelo contrário. A intenção é aproveitar o máximo dos recursos tecnológicos, unindo à expertise humana para oferecer soluções de forma mais eficiente, confortável e prática. Esse foi o objetivo ao desenvolver o APP. “Queríamos que as pessoas tivessem uma experiência diferenciada, com atendimento rápido e eficaz, onde o cliente tem voz na negociação. Ao contrário do Mercado 1.0, onde o cliente era convencido a comprar, no 4.0 ele sabe o que procura e tem a informação antes de conhecer o imóvel pessoalmente, ou seja, o papel do corretor mudou e ele precisa se adaptar a este novo momento”, explicou Fabio.

Equipe Imobi Places: Wagner Peinado – CMO, Fabio Barros – CEO, Nepson Ribeiro – COO

– Com um mercado imobiliário mais inteligente, que utiliza a tecnologia a seu favor, quem fecha negócio hoje é o cliente final e embora, evidentemente o corretor de imóveis nunca deixará de existir, ele precisa se reinventar, se virtualizar e colocar a vontade do cliente como prioridade.

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*